O impacto emocional da quarentena

O impacto emocional da quarentena

Uma coisa é certa: a pandemia mudou radicalmente hábitos e rotinas no mundo corporativo. Isso porque, a necessidade de isolamento social fez com que muitas organizações adotassem o home office como estratégia.

Mas ainda que o trabalho remoto traga vantagens para colaboradores e empresas, o distanciamento pode causar impactos psicológicos e emocionais nas pessoas, mesmo que ficar em casa seja uma medida de segurança necessária. 

Somado a isso, as pressões são muitas e vêm de todos os lados, já que é necessário conviver com a preocupação de ter a saúde comprometida pela COVID-19 e com a possibilidade de demissão ou instabilidade financeira. 

Nesse sentido, a quarentena pode afetar a rotina das pessoas, que precisam de adaptar aos desafios. Quem mora sozinho, deve lidar com o silêncio e o isolamento. Já os que vivem em família têm que organizar os espaços compartilhados e dividir a atenção com filhos e companheiros.

Diante desse cenário, é possível que uma série de problemas de saúde mental sejam detectados: sintomas de ansiedade, raiva, tristeza, depressão, distúrbios do sono e estresse, por exemplo. 

Por isso, é preciso atenção ao gerir pessoas durante o isolamento social. O analista de Recursos Humanos deve estar atento aos impactos psicológicos e auxiliar os colaboradores a conciliar vida profissional e pessoal em um mesmo ambiente.

Um forte abraço e nos encontramos no Topo!!!

Fonte: SÓLIDES GESTÃO – https://www.solides.com.br/

Coach Gilson Souza

Neuropsicanalista | Mestre em Saúde Mental | Graduado em Pedagogia e Gestão de Recursos Humanos | MBA em Gestão Estratégica de Pessoas | Analista Comportamental | Master Coach Trainer | Head Trainer da Misio Consultoria

Deixe um comentário