Como age o Perfil “Comunicador” em Home Office

Como age o Perfil “Comunicador” em Home Office

COMUNICADORES são bastante intuitivos, isso significa que eles tendem a agir rápido em momentos de pressão. Suas ações não são bastante efetivas ou capazes de resolver a raiz central do problema, mas as dificuldades pontuais e superficiais serão resolvidas quase que imediatamente.

Quando pressionados, eles tendem a não pensar a longo ou médio prazo, mas sim no que pode ser feito agora para sanar determinada situação. Por isso, cabe a gestão conseguir direcionar esses profissionais para quadros em que as ações rápidas sejam mais efetivas e necessárias.

Por trazer muita pressão e desafios, a crise é um momento muito estressante para os COMUNICADORES. Esses profissionais podem até ficar um pouco mais “travados” diante das séries de dificuldades que estão diante deles. Os COMUNICADORES gostam e sentem prazer em conseguir executar o seu trabalho com tranquilidade e maestria.

Por isso, a crise pode tirar desses colaboradores a sensação de “prazer”. Em cenários normais, os COMUNICADORES são bastante otimistas e grande dificuldade para esses profissionais é manter esse sentimento em um momento de muitas inseguranças.

O que a gestão pode fazer para motivar os COMUNICADORES em cenário de crise?

O perfil COMUNICADOR é vaidoso, gostando de receber feedbacks positivos e ser reconhecido pelo seu trabalho. Para momentos de dificuldade, os gestores precisam fazer um acompanhamento próximo.

Quando não for possível fazer um acompanhamento individual — por meio do one-on-one — os gestores podem apostar em fazer uma reunião com todos os funcionários a fim de coletar informações de como eles estão se sentindo nesse momento e o que estão desenvolvendo.

Mostrar-se presente, disponível e próximo são elementos essenciais para conseguir engajar e motivar os COMUNICADORES. Em cenários mais críticos — como a obrigatoriedade de fazer home office para o isolamento social por conta da pandemia de coronavírus — a falta de conexão é um problema real para o perfil COMUNICADOR.

Com a diversidade de notícias que momentos críticos tendem a trazer — muitas delas fake news — é natural que os COMUNICADORES fiquem menos seguros de si e mais ansiosos. Eles começam a especular rapidamente sobre possíveis demissões, sentem o seu emprego ameaçado e, por isso, podem ter sua energia diminuída.

Nesse sentido, não basta o gestor ficar preocupado apenas e exclusivamente com as entregas das demandas. É preciso demonstrar empatia e questionar sobre como esse funcionário está se sentindo, se os dias tem sido mais fácil ou tem melhorado.

O perfil COMUNICADOR sob pressão necessita de uma atenção e acompanhamento da gestão. Quando feita de maneira adequada e empática, os resultados tendem a serem positivos, visto que esses profissionais gostam de serem reconhecidos pelo seu excelente trabalho.

Se você quer ter uma gestão de crise realmente eficiente, solicite uma CONSULTORIA GRATUITA (ONLINE), com um de nossos Especialistas!

Até o próximo Artigo, um forte abraço e nos encontramos no Topo!

Coach Gilson Souza

Neuropsicanalista | Mestre em Saúde Mental | Graduado em Pedagogia e Gestão de Recursos Humanos | MBA em Gestão Estratégica de Pessoas | Analista Comportamental | Master Coach Trainer | Head Trainer da Misio Consultoria

Deixe uma resposta